Apresentação Pública OOM

ligado .


madeira-marNo próximo dia 5 de Novembro é apresentado, pelas 11h00 no Madeira Tecnopolo, o Observatório Oceânico da Madeira (OOM). 

A Agenda da Apresentação prevê uma abertura e enquadramento por Nuno Jardim Nunes, uma apresentação dos projetos e atividades do OOM por Rui Caldeira, uma apresentação de João Coimbra, Professor Emérito da Universidade do Porto e um encerramento pelo Vice-Presidente do Governo Regional da Madeira, João Cunha e Silva.

O OOM pretende constituir-se como um pólo de excelência dedicado à investigação e monitorização permanente do oceano. Esta iniciativa agrega uma comunidade científica multidisciplinar, juntando várias entidades no sentido de promover a cooperação e rentabilizar recursos.

A consolidação de dados históricos, observações e previsões numa plataforma comum, vai permitir à Região Autónoma da Madeira (RAM) dar uma resposta mais eficaz às exigências de avaliação e gestão dos recursos marinhos, capacitando a RAM com meios adequados ao desenvolvimento sustentável.

A apresentação é aberta ao público e para assistir basta confirmar presença para o email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou para o telefone 291 721 220. 

Eleitos Corpos Directivos do OOM

ligado .

OOMJá foi oficializada a criação do Observatório Oceânico da Madeira (OOM), uma unidade de investigação inserida na ARDITI - Agência Regional para o Desenvolvimento, Investigação e Tecnologia. O projeto, que vinha sendo preparado há já algum tempo elegeu agora os seus corpos directivos reunindo várias instituições e investigadores, pretendendo assim evitar a dispersão de investigadores e projetos.

Os elementos propostos para os cargos directivos foram eleitos por unanimidade: Manuel Biscoito para Presidente do Conselho Coordenador; Carlos Andrade, João Clode e Rui Caldeira para a Comissão Directiva. Ontem, na sua primeira reunião, a Comissão Diretiva elegeu Rui Caldeira como Diretor.

O Observatório Oceânico da Madeira visa o desenvolvimento de uma infraestrutura científica de monitorização permanente do oceano, incluindo dados biogeoquímicos e tecnologias de observação oceano-meteorológicas acopladas a modelos de previsão. A consolidação de dados históricos, observações e previsões numa plataforma comum vai permitir à Região Autónoma da Madeira (RAM) dar resposta mais eficaz às exigências atuais e futuras de avaliação e gestão dos recursos marinhos, capacitando a RAM com meios adequados ao desenvolvimento de estudos avançados, monitorização dos impactos induzidos pelas alterações climáticas e previsão marítima, à escala das ilhas. Assim, a Região vai poder beneficiar da informação, serviços e produtos proporcionados pelo OOM, estimulando atividades económicas de elevado valor acrescentado, designadamente no domínio do aproveitamento dos recursos biomarítimos e das energias renováveis, bem como no desenvolvimento do conhecimento científico em colaboração com investigadores e centros internacionais de referência, particularmente no âmbito da exploração geológica e mineral dos fundos marinhos, no transporte e segurança marítima, no turismo, no desporto náutico, nas pescas, e na resposta a eventos de poluição e/ou catástrofes naturais (ex. tsunamis).

Para mais informação visite o site do OOM aqui

 

Banco de germoplasma ISOPlexis com 2626 novas entradas

ligado .


isoplexisO Banco de Germoplasma ISOPlexis/Germobanco, unidade de investigação da UMa, que integra o SRDITI, desenvolve investigação sobre a agro-biodiversidade, agricultura e sustentabilidade, albergando coleções de germoplasma dos recursos genéticos para agricultura e alimentação (RGAA) da RAM.

No âmbito da sua atividade, o BG ISOPlexis/Germobanco tem desenvolvido um sistema de documentação e informação (SDI) dos RGAA, que visa a inventariação e monitorização da agro-diversidade e dos recursos ge
néticos. Em articulação com o Bioversita Internacional, utilizando a plataforma GRIN-GLOBAL, a informação sobre a agro-diversidade e RGAA vem sendo sistematizada e atualizada, recorrendo a diversas fontes de informação, resultados de investigação e georreferenciação.

A plataforma GRIN-Global permite a inclusão do BG ISOPlexis/Germobanco num sistema global de documentação e informação sobre os RGAA. Futuramente o acesso à informação sobre as variedades agrícolas regionais, os recursos genéticos e material de propagação conservado no banco e/ou disponível para o sector agrícola, chegará também ao público em geral, e agentes interessados (stakholders).

A investigadora Sara Carole, através de uma posição financiada pela ARDITI na área de Qualidade Agro-alimentar, desenvolve presentemente o seu trabalho de investigação no âmbito do SDI do BG ISOPlexis/Germobanco, procedendo à pesquisa, sistematização, organização e inserção da informação disponível sobre os RGAA no sistema. O SDI possui cerca de 2626 novas entradas com 3777 movimentos de inventário introduzidos e consultáveis.

A Comunidade Europeia pretende, em fase de legislação comunitária, recente ou em fase de aprovação, que seja autorizado na agricultura sementes ou material de propagação de variedades agrícolas registadas nos Catálogos de Variedades. Excepções constituem as sementes e material de propagação utilizados regionalmente e que se encontrem conservados em bancos de germoplasma ou registados nos seus sistemas de documentação. Neste contexto o SDI do BG ISOPlexis/Germobanco afigura-se uma importante ferramenta na promoção da Bio-sustentabilidade da RAM.

3º Forum das RUP

ligado .


RUPARDITI presente no 3º Forum das Regiões Ultraperiféricas 

A ARDITI vai marcar presença no terceiro Fórum das Regiões Ultraperiférias que acontece a 30 de Setembro e 1 de Outubro em Bruxelas. 

Nuno Jardim Nunes, Presidente do Conselho de Administração da ARDITI participa no primeiro dia do programa, no segundo painel, sob o tema: How to best use resources to achieve innovative results and to stimulate growth and sustainable development promoting the strengths of the outermost regions in the areas of tourism, research, energy, agriculture and fisheriesQuestion and answer session.

À semelhança do que aconteceu nos  fóruns de 2010 e 2012,também o encontro deste ano contará com centenas de participantes, incluindo peritos e representantes das regiões ultraperiféricas e dos países em questão, bem como das instituições da UE e de grupos de interesse e intervenientes.

O evento realiza-se no início de uma nova era para várias instituições determinantes da União Europeia e numa altura em que as prioridades no plano europeu da Política de Coesão da UE para o período 2014-2020 estão a traduzir-se em prioridades de investimento através de Acordos de Parceria, programas e planos estratégicos nos Estados-Membros.

O desafio, neste contexto, reside em assegurar que a estratégia é orientada para as necessidades específicas das regiões ultraperiféricas, para que estas possam também contribuir para a consecução dos objetivos da UE e prosseguir a via do desenvolvimento sustentável.

Com base nos eixos estratégicos desenvolvidos nos respetivos planos de ação, parceiros de negócio de toda a UE serão também convidados a oferecer às regiões ultraperiféricas uma plataforma de divulgação de pontos de venda exclusivos.

Os membros dos vários painéis serão incentivados a abordar temas como o emprego, os desafios socias, os setores com elevado potencial para o desenvolvimento das regiões ultraperiféricas e a sua integração regional, com vista a que estas regiões utilizem da melhor forma possível os recursos à sua disposição e a maximizar os resultados.

Para mais informações consulte a Página Oficial do Fórum e o Programa de Trabalhos

Workshop: À descoberta dos musgos, hepáticas e líquenes da Madeira

ligado .

Workshop Briófitos - Cartaz WORKSHOP: À DESCOBERTA DOS MUSGOS, HEPÁTICAS E LÍQUENES DA MADEIRA

No próximo dia 23 de Setembro tem lugar, no Auditório do Colégio dos Jesuítas (UMa), o workshop  “À descoberta dos musgos, hepáticas e líquenes da Madeira” no âmbito do projeto “Modelação da diversidade florística e genética de criptogâmicas: um instrumento para a gestão da floresta natural da Madeira (MadCrypto)”.

O projeto, cujo trabalho de campo esteve sob a orientação do ISOPlexis-UMa, termina oficialmente a 30 de setembro de 2014 e terá o workshop como uma forma de divulgação das metodologias utilizadas e dos resultados obtidos durante os 4 anos de investigação.

Para além de um conjunto de conferências e outras atividades previstas para o dia 23, realizar-se-á uma saída de campo, no dia 24, com o objetivo de exemplificar in situ a metodologia de amostragem utilizada e proporcionar uma introdução à identificação de briófitos e líquenes no campo.

Para mais informações clique aqui.