Sextas - do - OOM

Durante este ano de 2015, o  Observatório Oceânico da Madeira (OOM) promove uma série de palestras designada de "Sextas - do - OOM"  que, até Junho, irão divulgar os principais resultados do trabalho realizado no âmbito das bolsas da ARDITI. 

Esta primeira palestra que tem lugar na Sexta-feira dia 28 de Fevereiro, é dada pela investigadora Margarida Hermida e tem lugar no Auditório da Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais. 

MHERMIDA SMALL

Investigação e Inovação em ambiente empresarial

blue iodine

No passado dia 5 de Dezembro de 2014, a empresa UBQ II recebeu a aprovação oficial da sua candidatura "Blue Iodine. Boost BLUE economy through market uptake an innovative seaweed bioextract for IODINE fortification". O projeto é financiado através do instrumento de apoio às PMEs (Pequenas e Médias Empresas) do programa Horizonte 2020, destinado a promover a investigação, desenvolvimento e inovação no tecido empresarial da União Europeia.

A UBQ II é uma microempresa da Região Autónoma da Madeira (RAM) criada para desenvolver e produzir novos produtos para o mercado regional, nacional e internacional, que aposta fortemente na inovação e na criação de emprego científico. Na sua atividade e conceção do projeto Blue Iodine, a UBQ II conta com o apoio científico-técnico do Banco de Germoplasma ISOPlexis (BG ISOPlexis), ao qual se encontra ligado por uma parceria estabelecida, celebrada através de acordo de colaboração assinado com a Universidade da Madeira, a 6 de Outubro de 2010.

Nas 2 fases de candidatura que decorreram até ao momento, 4565 PMEs europeias submeteram propostas de projetos à UE, sendo que a taxa de aprovação foi de 5,6%. O projeto Blue Iodine é uma das propostas aprovadas, tornando-se a UBQ II na 5ª empresa portuguesa a conquistar este financiamento. O projeto, que se encontra na fase de celebração do contrato, recebeu um financiamento de € 50.000 para o desenvolvimento e fundamentação do conceito e ideia de negócio, e poderá numa 2ª fase aspirar a um financiamento que ascenderá aos 2,5 milhões de euros.

A aprovação deste projeto irá fortificar a empresa no mercado das biotecnologias azuis, incrementando a investigação e inovação na área da produção de extratos enriquecidos, obtidos a partir de algas marinhas produzidas em condições de semicativeiro. Estes extratos poderão ser incorporados em produtos alimentícios ou comercializados como suplementos com o intuito de colmatar algumas carências nutricionais, derivadas do consumo deficiente de aminoácidos essenciais, minerais, e iodo.

Apresentação Projetos Capstone

2239No próximo dia 18 de Dezembro são apresentados, a partir das 14h30 na Reitoria da Universidade da Madeira, os Projetos Capstone do Madeira Interactive Technologies Institute.

Durante toda a tarde serão apresentados diversos projetos inovadores desenvolvidos por investigadores das mais variadas nacionalidades que trabalham no M-ITI.

 

A entrada é livre a todos os que queiram assistir às apresentações.

Consulte aqui a agenda completa.

ISOPlexis/Germobanco integra rede International Network for Edible Aroids

DSC08150ISOPlexis/Germobanco participa em projeto europeu
Adaptando as culturas às novas condições climáticas e de mercado.

O BG ISOPlexis/Germobanco integra a rede International Network for Edible Aroids (INEA), que engloba instituições de 19 países e realiza o projeto europeu EU Aid Taro, DCI-Food/2009/45 "Adapting propagated crops to climatic and commercial changes".

Esta rede visa a cooperação no domínio da troca de recursos genéticos, biotecnologias e informação sobre a cultura do inhame. No âmbito do projecto a rede procura construir um modelo e desenvolver metodologias que permitam a adaptação desta espécie às alterações climáticas e de mercado, e que possam ser extrapoladas e transferidas para outras culturas tropicais tuberosas ou de propagação vegetativa. O inhame é a nona cultura mais praticada a nível mundial, sendo uma fonte de alimento e rendimento muito importante na África e na Asia. A planta apresenta necessidades hídricas elevadas, durante o seu desenvolvimento, e a sua produção está especialmente ameaçada pelas alterações climáticas em curso, que prevêem uma redução acentuada da disponibilidade de recursos hídricos.

No âmbito do projecto, o BG ISOPlexis, coordena o Work Package 5 (WP5), uma das tarefas chave, que visa a criação de um modelo de stress hídrico para a cultura, o rastreio dos seus recursos genéticos em relação à tolerância à seca e o desenvolvimento de metodologias que permitam a avaliação dos recursos genéticos pelos diferentes parceiros. Ensaios agronómicos piloto e completos (full) têm sido realizados, com a colaboração da DRADR, Centro de Horticultura e do Microlab (multiplicação de germoplasma enviado pelo SPC (Secretariat of the Pacific Community). Uma avaliação e classificação compreensiva de 35 cultivares inhame quanto à sua tolerância ou susceptilibade à seca foi realizada. Entre estas cultivares, incluem-se 15 de elite fornecidas pelo SCP, Fiji, 18 cultivares da Macaronésia (10 da Madeira, 6 das Canárias e 2 dos Açores) e 1 de
Chipre, e envolvendo mais de 600 plantas.

A análise preliminar dos resultados permitiu detectar diferenças significativas na capacidade de tolerar défice de irrigação nas cultivares estudadas. O material seleccionado será utilizado em programas de melhoramento da cultura em relação à seca e estão ser identificados os caracteres e marcadores funcionais que permitam essa selecção e melhoramento assistido. A equipa de investigação envolve 4 elementos do BG ISOPlexis supervisionada pelo estudante de doutoramento Filipe Ganança.

Saiba mais sobre o ISOPlexis/Germobanco e sobre este projeto aqui. 

Demonstração Pública de Robôs Subaquáticos Autónomos

IMG 8812​​​No próximo dia 14, pelas 15h00, tem lugar no Porto do Funchal, a Demonstração Pública dos Robôs Subaquáticos Autónomos que têm como missão a recolha de dados sobre os fundos marinhos que acontece no âmbito do Projeto DAMP.

Este projeto visa testar tecnologias subaquáticas (autónomas) idealizadas e construídas em Portugal, em ambientes portuários e costeiros.

Além de executar missões pré-planeadas serão executadas missões oportunistas com o potencial de aprumar estas tecnologias para aplicações futuras. Um contato in loco com os 'criadores' da tecnologia permite uma optimização da mesma para aplicações personalizadas. A utilização de tecnologias subaquáticas permite superar as limitações humanas na recolha de dados em profundidade.

Na demonstração a assistência poderá aceder a informação sobre várias missões pre-planeadas assim como missões oportunistas no sentido de, por exemplo, melhor caracterizar os fundos marinhos (batimetria) dentro dos Portos assim como permitir monitorar a sua evolução. Está a ser executada uma missão de detenção de objetos perdidos fora do porto do Funchal, nomeadamente de uma âncora (Ferro) perdido a ~40m. Serão executados levantamentos de dados ambientais nomeadamente, temperaturas e salinidade com o objetivo de melhor caracterizar a dinâmica oceanográfica costeira.

Esta é uma iniciativa multi-institucional e multi-disciplinar com o objetivo de testar e ensaiar veículos robóticos subaquáticos (autónomos) em ambientes portuários e costeiros. O projeto conta com a coordenação local do CIIMAR-Madeira em colaboração com a APRAM e com a participação do Laboratório de Sistemas e Tecnologias Subaquáticas (LSTS) da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto assim como da Marinha Portuguesa.

Este projeto foi parcialmente financiado pela Agencia de Investigação das Canárias (Id. 2010/0062) atribuído à Divisão de Robótica e Oceanografia Computacional do Instituto de Investigação SIANI, da Universidade de Las Palmas de Gran Canária.

A demonstração é aberta ao público em geral e é uma boa oportunidade para testemunhar de perto o que podem fazer estes robôs.