Sextas-do-OOM (2)

O ciclo de conferências Sextas-do-OOM organiza o seu segundo evento, desta vez com o investigador Patrício Ramalhosa sob o tema "Invasões Biológicas no Mar da Madeira e o Tráfego Marítimo". 

A entrada é livre e a conferência acontece no dia 27 de Março, às 17h00 na Sala da Assembleia Municipal da Câmara Municipal do Funchal.  

Patrício R Vsite

Monica Cameirão marca presença em congresso

rehab netA Professora Doutora Mónica Cameirão, docente na Universidade da Madeira e Investigadora no M-ITI, foi convidada para apresentar o trabalho desenvolvido no ambito do projeto RehabNet no congresso anual da Sociedade Portuguesa de Medicina Física e Reabilitação. Esta presença assume uma ainda maior importância tendo em conta que  este é o congresso mais importante em Portugal na área da medicina física e reabilitação, e mostra o impacto que estão a ter as abordagens tecnológicas como esta utilizada pelo M-ITI, na comunidade médica.

O acidente vascular cerebral (AVC) continua a ser uma das principais causas de incapacidade na idade adulta, com custos económicos e sociais muito elevados. Nos últimos anos têm sido propostas novas abordagens para a reabilitação motora, como por exemplo o uso de tecnologias interativas e de realidade virtual. A realidade virtual tem muito potencial porque permite a criação de novos paradigmas de reabilitação personalizada baseados em directrizes neurocientíficas. Especificamente, permite a criação de ambientes virtuais controlados e adaptados às necessidades individuais de cada paciente, a utilização de vários tipos de feedback, e aumentar a adesão incorporando tarefas de reabilitação em contextos de jogos. Além disso, através destas ferramentas podemos monitorizar os pacientes e ter uma quantificação precisa e objetiva da sua performance e recuperação ao longo do tempo. Um dos principais desafios no desenvolvimento destas ferramentas consiste em encontrar um equilíbrio entre medicina de reabilitação, engenharia e entretenimento que permita que estas novas abordagens de reabilitação sejam apelativas sem descurar o seu valor e rigor científico. Nesta apresentação vai ser descrita a abordagem seguida no NeuroRehabLab, onde combinamos realidade virtual, neurociências e reabilitação com o objetivo de desenvolver e validar clinicamente sistemas interativos especificamente desenhados para a reabilitação motora e cognitiva após um AVC.

ISOPLEXIS participa em Conferência Internacional

DSC 0483 1 2O Banco de Germoplasma ISOPlexis, representado pelo seu curador Humberto Nóbrega, participou na Conferência Internacional “Agriculture and Climate Change – Adapting crops to increased uncertainty”, entre os dias 15 e 17 de Fevereiro no NH Grand Hotel Krasnapolsky, no centro de
Amsterdão. A Conferência incidiu sobre o impacto das alterações climáticas sobre as culturas, espécies agrícolas e produção agrícola, e explorou abordagens para manter e aumentar a produtividade das culturas face a essas alterações. Dividiu-se em oito Sessões Plenárias e duas Sessões de Posters que podem ser consultados aqui, contando com 8 keynote speakers e 30 outros oradores convidados provenientes de vários países.

O BG ISOPlexis participou com a comunicação em poster “Screening of elite and local taro (Colocasia esculenta) cultivars for drought tolerance”, que apresentou os resultados preliminares dos estudos de tolerância à seca do inhame no âmbito do projeto europeu EU Aid Taro, DCI-Food/2009/45 "Adapting propagated crops to climatic and commercial changes". Nesta comunicação oi apresentada uma classificação de 34 cultivares de inhame em relação à sua tolerância à seca, onde se realça a resistência de 6 cultivares da Madeira (2), Canárias (2), Papua Nova Guiné (1) e Tailândia (1). Um modelo de stress hídrico no inhame está a ser desenvolvido pela equipa do BG ISOPlexis, com o objectivo de permitir o melhoramento da cultura.

Sextas - do - OOM

Durante este ano de 2015, o  Observatório Oceânico da Madeira (OOM) promove uma série de palestras designada de "Sextas - do - OOM"  que, até Junho, irão divulgar os principais resultados do trabalho realizado no âmbito das bolsas da ARDITI. 

Esta primeira palestra que tem lugar na Sexta-feira dia 28 de Fevereiro, é dada pela investigadora Margarida Hermida e tem lugar no Auditório da Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais. 

MHERMIDA SMALL

Investigação e Inovação em ambiente empresarial

blue iodine

No passado dia 5 de Dezembro de 2014, a empresa UBQ II recebeu a aprovação oficial da sua candidatura "Blue Iodine. Boost BLUE economy through market uptake an innovative seaweed bioextract for IODINE fortification". O projeto é financiado através do instrumento de apoio às PMEs (Pequenas e Médias Empresas) do programa Horizonte 2020, destinado a promover a investigação, desenvolvimento e inovação no tecido empresarial da União Europeia.

A UBQ II é uma microempresa da Região Autónoma da Madeira (RAM) criada para desenvolver e produzir novos produtos para o mercado regional, nacional e internacional, que aposta fortemente na inovação e na criação de emprego científico. Na sua atividade e conceção do projeto Blue Iodine, a UBQ II conta com o apoio científico-técnico do Banco de Germoplasma ISOPlexis (BG ISOPlexis), ao qual se encontra ligado por uma parceria estabelecida, celebrada através de acordo de colaboração assinado com a Universidade da Madeira, a 6 de Outubro de 2010.

Nas 2 fases de candidatura que decorreram até ao momento, 4565 PMEs europeias submeteram propostas de projetos à UE, sendo que a taxa de aprovação foi de 5,6%. O projeto Blue Iodine é uma das propostas aprovadas, tornando-se a UBQ II na 5ª empresa portuguesa a conquistar este financiamento. O projeto, que se encontra na fase de celebração do contrato, recebeu um financiamento de € 50.000 para o desenvolvimento e fundamentação do conceito e ideia de negócio, e poderá numa 2ª fase aspirar a um financiamento que ascenderá aos 2,5 milhões de euros.

A aprovação deste projeto irá fortificar a empresa no mercado das biotecnologias azuis, incrementando a investigação e inovação na área da produção de extratos enriquecidos, obtidos a partir de algas marinhas produzidas em condições de semicativeiro. Estes extratos poderão ser incorporados em produtos alimentícios ou comercializados como suplementos com o intuito de colmatar algumas carências nutricionais, derivadas do consumo deficiente de aminoácidos essenciais, minerais, e iodo.